• Arquivos categorizados Associações
  • Apfisio – exemplo a ser seguido na Fisioterapia.

    Os resultados obtidos mostram, além da competência negocial de toda a equipe da APFISIO/SE, que o sonho de uma remuneração justa junto às OPS baseia-se em nosso processo organizacional e adesão dos prestadores frente a causas comuns a categoria.
    Os resultados obtidos mostram, além da competência negocial de toda a equipe da APFISIO/SE, que o sonho de uma remuneração justa junto às OPS baseia-se em nosso processo organizacional e adesão dos prestadores frente a causas comuns a categoria.

    Nos dias 28 e 29 de agosto/2015 tive o privilégio de ser convidado por meu amigo Lucas Moraes Rego para participar do I Encontro APFISIO-SE/FENAFISIO. O evento aconteceu no Del Canto Hotel – Aracaju/SE.

    Empresários, professores e acadêmicos estiveram presentes debatendo antigos impasses comuns entre as Operadoras de Planos de Saúde e os Prestadores de Serviços de Fisioterapia. Necessário mencionar que o evento teve o total apoio do CREFITO 7 representado por Dr. Cleber Sady e Dr.Mauricio Dourado Rocha.

    O principal patrocinador do evento foi a empresa Persyos Sistemas Customizados(Artini Lemos, Raphael Alencar, Silvio Diniz) desenvolvedora do PERFISIOS, software de gestão para Serviços de Fisioterapia. Faturamento eletrônico, acesso em dispositivos móveis e adaptabilidade às necessidades de cada empresa são algumas das características comuns ao produto, e que ajudarão os Fisioterapeutas Empresários a conhecerem mais o seu negócio  projetando-se, assim, para o futuro.

    O modelo estratégico praticado em  Aracaju de convidar o Ministério Público como mediador das negociações, paralisações temporárias, cobertura da imprensa e um alto índice de adesão fez a UNIDAS acatar parte de nosso referencial que será escalonado ao alongo dos próximos anos.

    Os resultados obtidos mostram, além da competência negocial de toda a equipe da  APFISIO/SE, que o sonho de uma remuneração justa junto às OPS baseia-se em nosso processo organizacional e adesão dos prestadores frente a causas comuns a categoria.

    Parabéns a todos os amigos Sergipanos pela coragem, iniciativa e ganhos. Que vossas ações ecoem por todo o Brasil.

    Abraço a todos

    Luis Henrique Cintra


  • Série Entidades de Classe – União? Para quê mesmo?

     

    Uniao para queEm março de 2013 alguns Fisioterapeutas desbravando caminhos que todos já conhecemos revolveram criar uma associação de prestadores de serviços de fisioterapia, surgiu assim a APRECEFISIO. Essa entidade representa a união de empresas e consultórios que visam conseguir uma remuneração justa sobre os honorários atualmente pagos pelas Operadoras de Planos de Saúde. Vencendo as dificuldades que o cotidiano impõe, em menos de 3 meses , nossa associação já estava totalmente regularizada. Filiada a FENAFISIO(Federação Nacional das Associações de Prestadores) segue o objetivo principal de implantação do Referencial Nacional de Honorários Fisioterapêuticos, atualmente disponibilizado no site do Coffito.

    Em agosto de 2013 fomos surpreendidos com uma medida arbitrária da Operadora Camed que, alegando uma determinação da ANS, reduzia nossos honorários pela metade. Imediatamente nos reunimos e conseguimos garantir que os antigos contratos fossem mantidos até novas negociações. Essa Operadora partiu então para  a NEGOCIAÇÃO INDIVIDUAL no intuito de pressionar cada empresa. Inúmeras reuniões, pareceres, comentários  e fofocas circularam sobre esse tema dentro dos negócios em Fisioterapia do Estado do Ceará  Fato  é que várias clinicas receberam o comunicado de descredenciamento dessa operadora após relatarem que não concordavam em receber valores abaixo do que antes recebiam. Alguma tiveram isso ainda em Dezembro/2013 e outras para agora final de janeiro/2014.

    Após 20 anos de formado e convivendo com tais OPS há 16 anos vejo que se cada empresa for sempre olhar somente para os seus problemas individuais, jamais conseguiremos alcançar uma conquista que possa ser efetivamente importante para nossa classe.  Atualmente, os prestadores de serviços fisioterapêuticos possuem a a ANS(Agência Nacional de Saúde) que ajuda na regulamentação dos contratos firmados entre esses e as operadoras. Acredito que se não soubermos utilizar essa vantagem em nosso favor ficará bem difícil a sobrevivência dos serviços de Fisioterapia pelos próximos 10 anos, contudo, não esqueçamos que a parte mais forte de nosso grupo é sempre o elo mais fraco.

    Luis Henrique Cintra

    Fisioterapeuta Consultor


  • Caminhando juntos.

    fisioterapeuta

    A história das profissões é tão antiga quanto a história da humanidade. Somos o que resolvemos fazer diariamente. Assim sendo, nossas atividades profissionais vão muito além de meras ocupações para gerar dinheiro, mas caracteriza o nosso papel no mundo.

    Atualmente, a Fisioterapia no Brasil está em franca evolução. Não me limitarei, aqui, em descrever avanços científicos, pois esses já são bem notórios, mas de conquistas políticas e sociais que nos firmam como verdadeiros profissionais da saúde.
    Se um dia fomos técnicos, hoje não mais. Se um dia dependemos de encaminhamentos com receitinhas, hoje não mais. Se um dia éramos “empregados” que tínhamos que seguir o que o “chefe” mandava, hoje somos PROFISSIONAIS LIBERAIS, FISIOTERAPEUTAS EMPRESÁRIOS que geram emprego e renda, contribuindo, dessa forma, para o crescimento de nosso país.

    O MOVIMENTO ASSOCIATIVO NA FISIOTERAPIA é uma realidade, e AQUELE QUE NEGLIGÊNCIA ISSO perderá uma excelente oportunidade de VERDADEIRAMENTE CONTRIBUIR para NOSSA PROFISSÃO. Pensamentos podem até inspirar, palavras, podem até convencer, mas somente gestos consolidam nossos planos.

    Não devemos esperar a atitude ou o exemplo de ninguém para criarmos nossa independência. Pois, isso, na essência já é uma dependência.

    Por tudo isso faço aqui o meu apelo a todos os ACADÊMICOS, COORDENADORES DE CURSO, FISIOTERAPEUTAS E EMPRESÁRIOS DA FISIOTERAPIA – VAMOS CAMINHAR JUNTOS, POIS, CONQUISTAS ISOLADAS SÃO MOMENTÂNEAS, MAS CONQUISTAS COLETIVAS SÃO ETERNAS.

    Um abraço,

    Luis Henrique Cintra


  • Fisioterapeutas, somos uma classe.

    Chiropractor stretching a woman's arm in a room

    Tenho observado ao longo de minha vida acadêmica e profissional que a conceituação política de nossa classe não é bem aceita pelos que a compõem. Observo alunos entusiasmados sentados nos bancos de faculdade ávidos por conhecimento, e fisioterapeutas ávidos por uma independência financeira que parece se concentrar em apenas “alguns” de nossa classe.

    Acredito que o papel das ENTIDADES DE CLASSE NUNCA DEVE SE LIMITAR À CONGREGAÇÃO DOS PROFISSIONAIS, pois muitos desses ficam se perguntando “o que vocês tem feito pela gente” quando se encontram sozinhos no mercado, e enfrentando uma realidade que nunca imaginaram.

    As associações, sindicatos e conselhos devem visitar as universidades mensalmente, alertar os alunos sobre os direitos e deveres de nossa classe, somente assim os futuros profissionais poderão se sentir mais a vontade na hora de pagar suas anuidades.

    Devemos ser apenas “UMA CLASSE”, e não acadêmicos estagiando ilegalmente e profissionais cobrando valores que não condizem com suas necessidades. Somos um inteiro.

    Um abraço,

    Luis Henrique Cintra


  • A importância da união na Fisioterapia

    SONY DSCPara que todos estejam dispostos a salvar a vida de alguém em perigo, esse alguém deve inicialmente arriscar sua vida para preservar a de todos.

    Esse aforismo recheou minha infância através de lendas contadas por Alexandre Dumas em seu clássico “Os Três Mosqueteiros”, escrito, encenado e filmado inúmeras vezes.

    Na estória, observamos 3 guardas e 1 aprendiz que são leais ao Rei da França e lutam contra o terrível e manipulador Armand Jean du Plessis, Cardeal de Richelieu.

    O que nós, após 300 anos, podemos extrair desse conto de fadas? Será que esse conto pode ser aplicado em nossas relações atuais?

    Quem o conhece sabe que cada um dos mosqueteiros tinha uma “queda” por alguma coisa, fosse: mulheres, fortuna, vinho ou poder. Enfim, como humanos, tinham suas fraquezas que são demonstradas com maestria por seu criador..

    A frase mais famosa é dita quando tomam alguma decisão importante, tipo salvar suas vidas: “Um por todos e todos por um”. Sendo muito mais que um jogo de palavras, essa frase pode exprimir o sucesso de toda e qualquer empreita no trabalho de equipe. Todos, Os Mosqueteiros, estavam dispostos a abrir mão de suas preferências em prol do grupo.

    Diariamente, acessando meus e-mails e redes sociais vejo meus amigos ACADÊMICOS, PROFESSORES, MARKETEIROS, PROFISSIOANAIS e POLÍTICOS da FISIOTERAPIA falando da NECESSIDADE DE UNIÃO. Mas será as palavras ditas podem realmente nos unir?

    Frases soltas ao vento não tem o efeito desejado, acabam sendo somente um alívio de nossas responsabilidades individuais. A gente quer que a iniciativa comece no outro. Porém, ao verificar as palavras Dummar, verifico: PARA QUE TODOS ESTEJAM DISPOSTOS A SALVAR A VIDA DE ALGUÉM EM PERIGO, ESSE ALGUÉM DEVE INICIALMENTE ARRISCAR SUA VIDA PARA PRESERVAR A DE TODOS.

    Como nós, Fisioterapeutas, somos muito jovens, somos impetuosos e arrogantes, acreditando por conseqüência, que conseguiremos a nossa autonomia sozinhos. É claro que não falamos isso, ao contrário, sempre nos mostramos dispostos a aceitar a decisão da maioria, porém na prática, preferimos ficar sobre o guarda chuva da minoria, a humanidade é a mesma.

    Aristóteles tem uma frase imortal: “Somos o que fazemos. A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito. Seja você a mudança que deseja no mundo. Falar, qualquer um fala. Tenha atitudes que inspirem confiança nos outros, somente assim conseguiremos nossa autonomia e seremos protegidos quando for necessário.

    Ser Líder não é convencer seus subordinados para realizar o impossível, mas estar presente e dividir o sangue, suor e lágrimas derramados quando se tentou o fazer o possível.

    Quem se diz livre dentro da massa manipulada age como manipulador da esperança e não como líder.

    Até a próxima postagem,

    Luis Henrique Cintra