• Arquivos categorizados Marketing
  • Série Consultoria – O público alvo

    Um dos maiores quesitos para quem deseja atingir um público diferenciado, por exemplo, é segurança. Pense que um estacionamento totalmente privativo pode ser a ameixa de seu bolo.
    Um dos maiores quesitos para quem deseja atingir um público diferenciado, por exemplo, é segurança. Pense que um estacionamento totalmente privativo pode ser a ameixa de seu bolo.

    A definição do público alvo deve ser a primeira resposta que o empreendedor deve responder antes de montar o seu negócio em Fisioterapia. A partir dessa, o mesmo guiará uma sequência de ações destinadas atingir seu objetivo inicial. Se não vejamos:

    – O seu negócio deve está localizado nas proximidades de seu cliente, já que a Fisioterapia muitas vezes é seriada.

    – O seu negócio deve ter estrutura adequada para atender os seus clientes, imagine um cliente com dor de coluna subindo ou descendo escadas.

    – O seu negócio deve ter preços ou convênios voltados para um tipo específico de cliente,

    – O seu negócio deve anunciar direcionando a publicidade para um cliente específico

    – O treinamento burocrático de seus funcionários deve ser voltado para resolver problemas específicos originados por clientes também específicos.

    Enfim, poderíamos ficar enumerando muitas situações onde o público alvo seria sempre o ponto de partida. Infelizmente, muitos colegas não conseguem ter sucesso em seus empreendimentos por não seguirem essa regra básica. Sempre ofereço o exemplo da Coca-cola que pode ser paga em diferentes valores, porém, isso é feito para diferentes público mesmo sendo o mesmo produto.

    Um dos maiores quesitos para quem deseja atingir um púlbico diferenciado, por exemplo, é segurança. Pense que um estacionamento totalmente privativo pode ser a ameixa de seu bolo.

    Abraço a todos

    Luis Henrique Cintra


  • O que é mais difícil: captar ou fidelizar clientes?

    A fidelização pode ser mais barata, contudo mais trabalhosa que a captação. O equilíbrio entre as duas garantirá o sucesso de seu estabelecimento.
    A fidelização pode ser mais barata, contudo mais trabalhosa que a captação. O equilíbrio entre as duas garantirá o sucesso de seu estabelecimento.

    Passados os primeiros dias de nosso negócio vem a pergunta: – O que vou fazer para ter clientes? A resposta é que tal pergunta, inicialmente, deveria ser feita antes de começar o negócio, ainda na fase de Planejamento, mas como lamentar-se não adiantará muito, vamos ao que interessa.

    A captação de clientes é sempre mais cara. É necessário ter boa embalagem (estrutura), habilidade de convencimento (marketing) e capacitação técnica (conhecimento) para justificar o que se anuncia. Essa tríade, forma o segredo de qualquer negócio em Fisioterapia.

    A Fidelização se relacionará com a capacidade de gerir seu negócio. Trabalhar sempre com valor agregado ao seu serviço. Nunca atrase, sempre se comunique, faça o paciente sentir-se em casa. Mostre interesse em prestar não apenas um atendimento, mas um bom serviço, que é muito mais que somente aliviar a dor ou devolver a função a alguém.

    Ou seja, a fidelização pode ser mais barata, contudo mais trabalhosa. O equilíbrio entre as duas garantirá o sucesso de seu estabelecimento.

    Abraços
    Luis Henrique Cintra


  • Cobrar caro ou cobrar bem?

    2015_04_15_cobrarbem
    O cliente que procura um serviço de fisioterapia está buscando saúde, ou seja, um local aonde ela possa sentir-se bem. A formulação do preço de cada atendimento deve ser baseada no “valor” que o cliente dará ao seu empreendimento.

    Existe uma adágio popular que diz: “Tudo que é bom custa caro”. Eu prefiro dizer que: “Tudo que é bem feito tem o seu preço justo”. Acredito que muitas vezes não sabemos cobrar por nossos serviços. Erros estratégicos simples podem causar o fracasso de empreendimentos que tem “tudo” para dar certo.

    Gosto sempre de dar o exemplo da Coca-Cola. Esse produto popular pode ser adquirido em diferentes preços satisfazendo, assim, os clientes que o procuram. E por que diferentes valores? Devido a 2 itens básicos: público alvo e valor agregado. Em vez de verificar nossos custos para que possamos aplicar uma margem de lucro compatível com nosso esforço, preferimos, simplesmente, procurar saber o preço do concorrente. Não que esse item não deva fazer parte de nosso estudo, mas nunca deve ser o nosso ponto de partida.

    O cliente que procura um serviço de fisioterapia está buscando saúde, ou seja, um local aonde ela possa sentir-se bem. A formulação do preço de cada atendimento deve ser baseada no “valor” que o cliente dará ao seu empreendimento. Ambiente climatizado, boa recepção, higiene, informatização, desburocratização, cumprimento de horário, bom resultado clínico, pesquisa de satisfação, atendimento pós-venda, marketing etc, deverão ser parte integrante do cálculo do preço que devemos aplicar.

    Dessa forma, nunca estaremos cobrando caro por nossos serviços, mas cobrando bem por nosso trabalho.

    Um abraço,
    Luis Henrique Cintra


  • Boas idéais, simples e aplicáveis.

    MBA UNIFOR
    MBA UNIFOR

    Quem disse que boas idéias não podem sair das salas de aula? Nessa semana, em nosso MBA de Gestão de Negócios em Saúde o meu grupo formado por: Vinicius Nuvens, Veridiana Aragão, Luis Henrique Cintra, Lia Rodrigues e Francisco José apresentou, sob a tutela das Profra. Emanuella Faheina e  Érika Pessoa, alternativas simples, porém com grandes possibilidades de aplicação e eficácia no controle da obesidade. Esse tema não é original e o mercado que o alimenta é gigantesco com cores, cheiros e sabores que seduzem pessoas de todas as idades e em todos os países.

    A idéia surgiu da colega Veridiana Aragão que sugeriu acrescentar aos “valores calóricos dos alimentos” uma tarja que qualificasse o alimento como sendo mais salgado, doce ou gorduroso que nosso organismo necessita. Dessa forma deixamos o consumidor livre para escolher, porém com uma destacada informação visual sob sua conduta.

    Um segunda idéia foi apresentada pelo colega Vinícius Nuvens em tributar de maneira mais incisiva os fast-foods que não apenas contribuem para o aumento mórbido da obesidade como criam “hábitos” alimentares nada ajudam para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

    Luis Henrique Cintra


  • Luis Henrique Cintra

    Luis Henrique Cintra Consultor

    Mais que fisioterapeuta, Luís Henrique é um professor nato. Desde o início de sua trajetória profissional, adquiriu alguns atributos característicos dos grandes mestres. Luís aprendeu a observar, analisar e sintetizar suas reflexões em lições importantes para a construção de seu sucesso profissional.

    Natural de Fortaleza, Luís viajou o país em busca de conhecimento. Os estudos o levaram a Campinas, Brasília e Salvador. Mal voltou à sua terra natal, foi convidado a lecionar na Faculdade Fanor DeVry, compartilhando o conhecimento adquirido em sua trajetória profissional. Desde então não largou mais a área da educação.

    Além de compartilhar palestras em todo o país, Luís tem se destacado como consultor em serviços de saúde, ajudando a estruturar, reorganizar e ampliar empresas de sucesso.

    Tenho certeza que os leitores desse blog desfrutarão de informações  imprescindíveis para a elaboração e gestão de seus projetos.

    Karla Alcoforado

    Comunic Propaganda