Cobrar caro ou cobrar bem?

2015_04_15_cobrarbem
O cliente que procura um serviço de fisioterapia está buscando saúde, ou seja, um local aonde ela possa sentir-se bem. A formulação do preço de cada atendimento deve ser baseada no “valor” que o cliente dará ao seu empreendimento.

Existe uma adágio popular que diz: “Tudo que é bom custa caro”. Eu prefiro dizer que: “Tudo que é bem feito tem o seu preço justo”. Acredito que muitas vezes não sabemos cobrar por nossos serviços. Erros estratégicos simples podem causar o fracasso de empreendimentos que tem “tudo” para dar certo.

Gosto sempre de dar o exemplo da Coca-Cola. Esse produto popular pode ser adquirido em diferentes preços satisfazendo, assim, os clientes que o procuram. E por que diferentes valores? Devido a 2 itens básicos: público alvo e valor agregado. Em vez de verificar nossos custos para que possamos aplicar uma margem de lucro compatível com nosso esforço, preferimos, simplesmente, procurar saber o preço do concorrente. Não que esse item não deva fazer parte de nosso estudo, mas nunca deve ser o nosso ponto de partida.

O cliente que procura um serviço de fisioterapia está buscando saúde, ou seja, um local aonde ela possa sentir-se bem. A formulação do preço de cada atendimento deve ser baseada no “valor” que o cliente dará ao seu empreendimento. Ambiente climatizado, boa recepção, higiene, informatização, desburocratização, cumprimento de horário, bom resultado clínico, pesquisa de satisfação, atendimento pós-venda, marketing etc, deverão ser parte integrante do cálculo do preço que devemos aplicar.

Dessa forma, nunca estaremos cobrando caro por nossos serviços, mas cobrando bem por nosso trabalho.

Um abraço,
Luis Henrique Cintra


0 Respostas para Cobrar caro ou cobrar bem?

  1. Avatar Emanuela frança
    Emanuela frança diz:

    Belo post mestre.

  2. Pingback:Cobrar caro ou cobrar bem? | Fisioterapeutas Empresários