Demissão.

O processo de demissão nunca foi uma tarefa agradável. Porém, antes um termino de namoro a um desastre no casamento.

Muitos são os motivos para que as relações de trabalho deixem de existir: mudanças no mercado, incompetência, perdas salariais, falta de condições de trabalho etc. Empregador e empregado, muitas vezes, culpam um ao outro pelo lamentável episódio, porém, já é bem notório que a justiça do trabalho está mais para tendenciosa que justa em inúmeras causas trabalhistas.

Cabe ao empresário possuir sempre um banco de currículos de reserva ou então um contato com empresas de recursos humanos e cabe ao empregado nunca ficar numa eterna zona de conforto. Hoje as empresas não precisam de trabalhadores com funções isoladas, mas profissionais “multitarefa” com conhecimentos em gestão e informática.

Há um dito clássico de Maquiavel – Tudo que ruim faça de uma vez – daí, empregador, estude bem o processo, mas, não existe em tomar sua decisão. Atitudes provocativas causam eternos inconvenientes e fragilizam as relações entre patrão e empregado. Por outro lado, nunca ofereças todas as vantagens que o trabalho pode ofertar logo de início, pois isso pode gerar problemas futuros.

 

Luis Henrique Cintra