Poxa, saiu e ainda levou meus clientes.

2015_09_21_levou_meus clientes
Negligências comuns a alguns gestores podem causar descontentamentos frequentes com consequente falhas na fidelização, daí, muitas vezes, o próprio prestador de serviço sente-se incomodado e prefere criar o seu próprio espaço, causando, dessa forma, prejuízo a instituição que o empregou.

Uma situação muito comum nos pequenos negócios em Fisioterapia é quando empregamos alguém, muita vezes tecnicamente aquém das perspectivas mas, determinado. Com o tempo, esse, aprende o ofício, abandona o local, cria o seu espaço e acaba levando os “nossos clientes”. O gestor de qualquer serviço jamais estará imune a essa situação. Na realidade, adaptar-se à mesma poderia seria a grande sacada e a situação poderia inverter-se.

Antes de qualquer consideração mais aprofundada é preciso que entendamos uma diferença importantíssima:

  • Procedimento: algo realizado por um profissional habilitado para o caso. Baseia-se no conhecimento técnico do mesmo.
  • Serviço: conjunto de ações desenvolvidas num determinado espaço para que o cliente identifique aquele local como referência para o atendimento de suas necessidades.

O cliente é fidelizado quando a PROPOSTA DE VALOR é garantida e aplicada. Negligências comuns a alguns gestores podem causar descontentamentos frequentes com consequente falhas na fidelização,  daí, muitas vezes, o próprio prestador de serviço sente-se incomodado e prefere criar o seu próprio espaço, causando, dessa forma, prejuízo a instituição que o empregou.

Oriento sempre que o profissional seja pago diretamente pela prestação de serviços. Caso o prestador demonstre um real interesse no crescimento do mesmo ai esse deve ser bonificado, porém, o preparo, higienização, pagamento de contas, manutenção de equipamentos, enfim, a gestão e promoção do local deve ficar a encargo do proprietário.

Quando a situação não se equipara ao que foi mencionado então caminhamos para o campo ético e nos resta apenas lamentar a conduta.

 

Abraço a todos

Luis Henrique Cintra