O marketing CHE GUEVARA.

2015_12_27_Che_GuevaraNos últimos meses infelizmente temos acompanhado infindáveis notícias de corrupção em várias esferas do poder. É simplesmente terrível ver muitos de nossos sonhos delapidados por negociatas infindáveis realizadas na política brasileira.

Observando o poder incontestável da propaganda, vejo, hoje, como fui influenciado pela imagem do líder guerrilheiro que trazia a “liberdade para a América Latina”. O rosto de Ernesto Guevara de la Serna, conhecido como “Che” Guevara, foi multiplicado não somente para minha geração, mas para incontáveis estudantes que lutaram CONTRA A DITADURA MILITAR, contra FERNANDO COLLOR, contra FERNANDO HENRIQUE ou qualquer outro líder que não fosse “companheiro”.

Para muitos de nós, havia 2 lados: o CONSERVADOR,  formado pelos homens de farda que ceifavam a liberdade de expressão, as ideologias políticas, as manifestações populares e o PROGRESSISTA formado por estudantes e pensadores “jovens” que eram contrários a tudo isso.

O que fui, por fim, entender, é que no “lado da oposição”, daquela época, havia pessoas que pregavam apenas a “troca do poder”, a implantação de uma nova ditadura, tão nefasta como a anterior, a DITADURA DO PROLETARIADO.

CHE GUEVARA foi responsável por incontáveis assassinatos ao longo de sua nefasta existência como líder popular. Pessoas foram eliminadas sem direito de defesa, ou, ainda, pior, simplesmente por não concordarem com a visão de mundo desse senhor.

Que sua frase célebre “ai de endurecer pero sin perder la ternura” seja sempre olhada com desconfiança por jovens que adoram suas camisetas e símbolos exalantes de coragem e justiça social.

Hoje, embora respeite e mantenha amigos admiradores de “CHE”, luto para que meu legado construa suas opiniões a partir da leitura, da observação, do exemplo domiciliar e de incansáveis trabalhadores, públicos ou privados, para a construção da nação que merecemos e não por grupos que desejavam ter o ESTADO como fonte de suas fantasias políticas e econômicas.

 

Luis Henrique Cintra