• Provisione para não ser pego de surpresa

    20150408_blog_provisão
    Reservando valores para o pagamento dos custos fixos e variáveis de seu negócio, você acumulará um maior capital de giro no futuro livrando-o consequentemente dos temíveis juros bancários.

    Em qualquer negócio, nada pode ser tão desconfortável como uma gasto que não estava previsto. É lógico que não poderemos prever todas as situações, mas a negligência sobre o cotidiano pode nos custar não apenas alguns reais, mas, o nosso próprio negócio.  Por isso devemos tentar  desenvolver o habito de PROVISIONAR.
    Usaremos como exemplo o pagamento do décimo terceiro salário por esse ser mais didático. Imaginemos que sua folha de pagamento mais encargos seja de R$ 3600,00 (três mil e seiscentos reais). Esse valor deverá ser dividido por 12 e provisionado numa conta a parte logo a partir de janeiro, ou seja, todos os meses, além do pagamento normal de sua folha você precisaria provisionar R$ 300,00 para pagar o décimo de seus funcionários.
    A provisão poderá ser feita com diferentes objetivos. Reservando valores para o pagamento dos  custos fixos e variáveis de seu negócio, você acumulará um maior capital de giro no futuro livrando-o consequentemente dos temíveis juros bancários.

    Luis Henrique Cintra


  • Série Contratos – RN 363, artigo 3.

    O contrato é o instrumento que garante, para os 2 lados, que os serviços sejam legalmente assegurados. A ANS, não levará em questão reclamações onde os contratos não estejam devidamente assinados por ambas as partes. Daí, a importância para o prestador de serviços de saúde conhecer ou pelo menos frequentar entidades de classe que podem, de alguma forma, lhe informar sobre o que os contratos rezam.
    O contrato é o instrumento que garante, para os 2 lados, que os serviços sejam legalmente assegurados. A ANS, não levará em questão reclamações onde os contratos não estejam devidamente assinados por ambas as partes. Daí, a importância para o prestador de serviços de saúde conhecer ou pelo menos frequentar entidades de classe que podem, de alguma forma, lhe informar sobre o que os contratos rezam.

    A RN 363 dispõe sobre as regras para celebração dos contratos escritos firmados entre as operadoras de planos de assistência à saúde e os prestadores de serviços de atenção à saúde e dá outras providências.

    CAPÍTULO II – DOS CONTRATOS ESCRITOS

    Art. 3º As condições de prestação de serviços de atenção à saúde no âmbito dos planos privados de assistência à saúde por pessoas físicas ou jurídicas, independentemente de sua qualificação como contratadas, referenciadas ou credenciadas, serão reguladas por contrato escrito, estipulado entre a Operadora e o Prestador.

    Comentário: O contrato é o instrumento que garante, para os 2 lados, que os serviços sejam legalmente assegurados. A ANS, não levará em questão reclamações onde os contratos não estejam devidamente assinados por ambas as partes. Daí, a importância para o prestador de serviços de saúde conhecer ou pelo menos frequentar entidades de classe que podem, de alguma forma, lhe informar sobre o que os contratos rezam.

    Abraço a todos

    Luis Henrique Cintra
    Fisioterapeuta Consultor


  • E o salário, quanto é?

    O  valor de sua hora de trabalho deve relacionar-se a importância que você tem para empresa, ou melhor, à importância que você tem para os clientes que atende.
    O valor de sua hora de trabalho deve relacionar-se a importância que você tem para empresa, ou melhor, à importância que você tem para os clientes que atende.

     Ao  escolher uma carreira como profissional de saúde é comum perguntarmos aos mais antigos: Quanto é o salário? Paga bem? O que você conseguiu ter sendo isso ou aquilo? Enfim, o preço pelo nosso esforço merece ser compensado, porém, será que seguimos o caminho certo para isso?

    Uma prática comum, porém extremamente danosa, em minha opinião, é o pagamento via percentual sobre o “valor que o convênio paga”. O profissional deve ser pago pela disponibilização de seu trabalho, de seu tempo. O que uma OPS paga é de responsabilidade da empresa e não de quem presta serviço. Da mesma forma, o reajuste dos valores conseguidos pelas empresas não deve relacionar-se com o reajuste da hora daquele profissional. Esse deve basear-se na importância e mérito do mesmo.

    O profissional que entra no mercado após sua graduação fica extremamente inseguro frente a realização das atividades que sua profissão exige. Costumo dizer que o mais importante, no início, não será o seu conhecimento técnico, mas a sua capacidade de assumir compromissos: chegar no horário, focar-se no cliente, ter postura e bom relacionamento com a equipe.

    Se você ficar baseando-se essencialmente no que diz a lei, será pela lei que você terá o seu retorno, isso o engessa com o passar dos anos. O  valor de sua hora de trabalho deve relacionar-se à importância que você tem para empresa, ou melhor, à importância que você tem para os clientes que atende.

    Para que o trabalhador da saúde tenha um referencial é interessante conhecer as convenções coletivas disponibilizadas nos sites dos sindicatos de cada categoria por Estado.

    Quem sabe, se fizéssemos a pergunta: como eu posso ganhar o que é justo pelo meu trabalho? Pudéssemos, assim, construir uma carreira pautada pela ética e meritocracia.

     

    Luis Henrique Cintra


  • A borboleta rosa.

    Quanto mais voava, mais suas asas cresciam, destacando-se, assim, de suas amigas, que animavam-se por serem, simplesmente, admiradas pelos habitantes do jardim.

    Era uma vez uma pequena lagarta, branquinha como neve. Astuta e destemida, esse pequeno inseto locomovia-se rapidamente por toda a árvore que lhe dava abrigo e comida. O tempo passou, e, após o período de incubação, ela abriu 2 belas asas começando a sobrevoar o jardim que habitava.

    Era incrível, pois, A BORBOLETA ROSA, mesmo conhecendo tudo e todos, começou enxergar um novo mundo, visto, agora, por outro ponto de vista. Quanto mais voava, mais suas asas cresciam, destacando-se, assim, de suas amigas, que animavam-se por serem, simplesmente, admiradas pelos habitantes do jardim.

    A BORBOLETA ROSA estava sempre pronta para ajudar qualquer bicho, mas, devido às enormes asas poucos a acompanhavam quando essa desejava, simplesmente, passear pelo jardim. Por isso, era comum vê-la com bichos de outros jardins ou então pousada no ponto mais alto da região, onde somente os pássaros habitavam.

    Certo dia, numa de suas viagens solitárias, a borboleta escutou um barulho estranho, que vinha da terra. Ela desceu para saber o que era, e conheceu o PEQUENO GRILO. Ficaram amigos e após alguns meses, ela, já sentindo-se mais íntima, teve, com esse, uma longa conversa:

    – Poxa, sabia que esse som que você faz é muito legal.

    – Sim, é a forma que me comunico com meus amigos.

    – Como assim, amigos? Eu só o vejo sozinho.

    – Não preciso tê-los ao meu lado, mas sentí-los no coração.

    – E como você sabe que eles gostam de você também?

    – Eu os escuto, é por isso que no jardim, nossas canções são intermináveis. Conversamos mesmo sem nos vermos.

    – Eu não sei cantar.

    – É, eu não sei voar. Mas o som é transmitido por ondas, e o bater de suas asas também o gera, só que nem todos poderão ouvir.

    – E como saberei quem está ouvindo.

    – Se eu soubesse, seria um grilo voador.

    – Rsrsrsrsrs, besta.

    – Muitos pássaros gostam de voar comigo…

    – Poxa, você tá podendo hein, só tirando onda!

    – Por quê?

    – Os pássaros cantam, voam e ainda são belos. Se eles sentem-se bem com você, é porque a consideram importante.

    – Mas eu queria que minhas amigas do jardim voassem comigo.

    – Aquilo que lhe deu liberdade, suas asas, pode ser o motivo disso não acontecer.

    – O que devo fazer? Devo cortá-las?

    – Jamais, mas voe conforme o grupo.

    – Mas voar baixo é muito sem graça.

    – A vida é feita de escolhas, amiga borboleta. Eu adoro fazer barulho, mas se eu o fizer sempre o sapo me come.

    – Buorpp, alguém me chamou????

    – Eita, hora de dá no pé….fui.

    – E eu também….kkkkkkkk.

    Luis Henrique Cintra

    Consultoria em Serviços de Saúde


  • O que são custos fixos?

    Custos Fixos não se relacionam com a atividade.
    Custos Fixos não se relacionam com a atividade.

    Há uma certa interpretação errada frente aos custos fixos de uma empresa. Fala-se que custo fixo é aquele que não muda, na realidade não é bem assim. Chamamos custos fixos aqueles que não se relacionam diretamente com a prestação de serviços de saúde em si, ou então, contribuirão de maneira muito pequena para isso.

    Utilizaremos esse conhecimento para calcularmos, por exemplo, quando gastamos por hora com o pagamento do aluguel. Imagine que esse seja de R$ 1200,00 e que seu consultório funciona por 20 dias úteis no mês e por 8 horas diárias. No final, veremos que você paga R$ 7,50 por cada hora de aluguel a cada mês, o mesmo acontecerá com os gastos com energia, telefone, água, luz e folha de pagamento, dentre outros.

    Por isso, temos que ser altamente rigorosos com o tempo. Quanto menos disponíveis somos, mais caro, para nós, torna-se nossa hora.

    Um abraço,
    Luis Henrique Cintra


  • Sazonalidade na prestação de serviços de saúde

    2015_04_01_blog_sazonalidade
    As vezes, o pagamento vindo das OPS leva em torno de 60 a 90 da data do inicio de tratamentos seriados.(psicoterapia, fisioterapia etc.)

    O termo Sazonalidade relaciona-se ao período em que o fluxo de serviço prestados numa empresa de saúde diminui. Não devemos confundir tal termo com a presença de dinheiro em caixa.

    Na psicologia, por exemplo, a prestação dos serviços normalmente se dá de maneira seriada. É comum que as clientes não compareçam em “dias imprensados” de feriados, por exemplo. É comum também que o fluxo de atendimentos na semana do Natal, também, diminua. Contudo, para os serviços que trabalham com “dor” e principalmente a “dor aguda” tais situações podem inverter e aquelas instituições que  “abrirem suas portas” estarão apresentando um diferencial.

    O recebimento de valores pode acontecer ou não nos períodos de sazonalidade baixa, isso acontece justamente com o pagamento vindo das Operadoras de Planos de Saúde que levem em torno de pelo menos 60 ou 90 dias para pagar a partir do início dos atendimentos

    O dinheiro em caixa poderá aumentar também justamente quando os serviços são vendidos à vista  e diretamente aos consumidores. Esse, ajuda no pagamento das contas mensais contudo na grande maioria dos serviços de saúde esses valores não ultrapassam, infelizmente, 30% do faturamento total.

    O estudo da sazonalidade pode ser de suma importância no planejamento financeiro ou logístico da empresa de prestação de serviços de saúde. Redução de custos fixos, planejamento, marketing e estudo de provisões poderão nos ajudar a passar por tal período, sendo portanto uma boa época para estudarmos como nossa empresa está caminhando.

    Luis Henrique Cintra


  • Fisioterapeuta – Garanta sua vaga no mercado.

    20150327_blog_mercado
    Capacidade de assumir compromissos é a chave para se entrar no mercado com Fisioterapeuta.

    Pelas palestras e eventos, que organizo e participo, vejo jovens, ávidos por conhecimentos, sejam técnicos, sejam de vida, lotarem os auditórios na busca de uma tão sonhada autonomia, que, infelizmente, muitas vezes é cerceada pelo mercado.

    Nada adiantará, aqui nesse momento, discorrer sobre a realidade junto as OPS(Operadoras de Planos de Saúde), entidades que nunca respeitaram nossa palavra e que gastam menos de 1% de seu faturamento no pagamento de nossos honorários. Um dia, e por isso lutar, o Fisioterapeuta entenderá que tais entidades somente existem, de direito, se ofertarem nossos serviços. O custo para essas é tão baixo que é preferível contratar empresas prestadoras de serviços que verticalizar o serviço(ter uma equipe própria) dentro de seus estabelecimentos.

    Em esferas superiores ganhos fantásticos já foram garantidos. Estamos no SIMPLES em 2015, tivemos nossos direitos assegurados com o veto parcial sobre o ATO MÉDICO, estamos na ANS e a cada dia temos mais mestres e doutores em Fisioterapia. Nos resta, contudo, o espírito corporativista, a visão empreendedora, a VONTADE DE SER AUTÔNOMO e NÃO EMPREGADO, ai sim teremos o que merecemos.

    O acadêmico de Fisioterapia ou aquele que está iniciando suas atividades precisa entender que o que irá garantir sua vaga no mercado NÃO SERÁ O SEU CONHECIMENTO TÉCNICO, mas a CAPACIDADE DE ASSUMIR E HONRAR COMPROMISSOS.

    Luis Henrique Cintra


  • Série Contratos – Empresário da saúde, atenção aos contratos.

     

    Todo proprietário de um serviço de Saúde deve, antes de assinar qualquer contrato com as OPS, ficar atento as resoluções RN 363, RN 364 e RN 365 da ANS.
    Todo proprietário de um serviço de Saúde deve, antes de assinar qualquer contrato com as OPS, ficar atento as resoluções RN 363, RN 364 e RN 365 da ANS.

    No último dia 16 de dezembro/2014 entrou em vigor a LEI 13003 sancionada pela Presidente Dilma que “Altera a Lei no9.656, de 3 de junho de 1998, que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde, com redação dada pela Medida Provisória no2.177-44, de 24 de agosto de 2001, para tornar obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras e seus prestadores de serviços.”

    Todo proprietário de um serviço de Saúde deve, antes de assinar qualquer contrato com  as OPS, ficar atento as resoluções RN 363, RN 364 e RN 365 da ANS(Agência Nacional de Saúde).

    Estaremos começando nesse espaço um nova série de publicações que visam comentar os artigos, parágrafos, incisos e seções de de cada uma das resoluções supra citadas. Assim, contribuiremos para que o leitor, proprietário de um negócio em saúde, possa decidir o que é melhor para sua empresa embasado na lei.

    Luis Henrique Cintra
    Fisioterapeuta Consultor

  • Boas idéais, simples e aplicáveis.

    MBA UNIFOR
    MBA UNIFOR

    Quem disse que boas idéias não podem sair das salas de aula? Nessa semana, em nosso MBA de Gestão de Negócios em Saúde o meu grupo formado por: Vinicius Nuvens, Veridiana Aragão, Luis Henrique Cintra, Lia Rodrigues e Francisco José apresentou, sob a tutela das Profra. Emanuella Faheina e  Érika Pessoa, alternativas simples, porém com grandes possibilidades de aplicação e eficácia no controle da obesidade. Esse tema não é original e o mercado que o alimenta é gigantesco com cores, cheiros e sabores que seduzem pessoas de todas as idades e em todos os países.

    A idéia surgiu da colega Veridiana Aragão que sugeriu acrescentar aos “valores calóricos dos alimentos” uma tarja que qualificasse o alimento como sendo mais salgado, doce ou gorduroso que nosso organismo necessita. Dessa forma deixamos o consumidor livre para escolher, porém com uma destacada informação visual sob sua conduta.

    Um segunda idéia foi apresentada pelo colega Vinícius Nuvens em tributar de maneira mais incisiva os fast-foods que não apenas contribuem para o aumento mórbido da obesidade como criam “hábitos” alimentares nada ajudam para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

    Luis Henrique Cintra


  • SIMPLES – Verifique se sua empresa foi aceita.

    20150326_blog_simples
    Muitas empresas de Fisioterapia já foram qualificadas no anexo III do SIMPLES.


    Em 2014 aconteceu uma das maiores conquista para as Empresas Prestadoras de Serviços de Fisioterapia. Essas foram qualificadas no ANEXO III DO SIMPLES NACIONAL.

    Desde janeiro de 2015 que muitas empresas deram entrada no SIMPLES. Veio a ansiedade para a confirmação, pois esse é um serviço realizado por profissionais contabilistas, e não, por nós, Fisioterapeutas Empresários.

    Preparei algumas orientações para que você, ASSINANTE DE NOSSO BLOG, possa conferir se sua empresa foi aceita no SIMPLES.

    Certidao_Simples

    1) Acesse o site: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/

    2) Escolha a aba SIMPLES SERVIÇOS/Consulta optantes

    3) Abaixo de serviços disponíveis escolha “consulta optantes”

    4) Digite o seu CNPJ e as letras à Esquerda

    5) Veja a certidão

    Certidao_simples_Fisio

    Há uma outra forma, mas essa normalmente é feita pelo contador:

    Certidao_Simples_2

    1) Acesse o site: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/

    2) Escolha “Todos os serviços” no final da seleção

    3) Abaixo de serviços disponíveis escolha “Acompanhamento da Formalização da Opção pelo Simples Nacional”

    4) Clique em CPF/CNPJ na mesma linha. Para isso você precisará de um código que foi lhe dado no inicio do pedido de migração para o SIMPLES

    Veja o termo de deferimento:

    Termo de Deferimento

    Veja a declaração de isenção que deve ser entregue a todas as empresas(operadoras etc) que se relacionam com a sua, porém algumas operadoras estão exigindo a declaração do contador, acima descrita:

    Declaração_isenção

    Baixe o arquivo:

    Declaração Isenção Retenção – SIMPLES

     

    Todo esse trabalho foi realizado pela contadora Dra.Kiara Pinheiro.

     

    Luis Henrique Cintra
    Consultor em Serviços de Saúde