• Arquivo de marcações clínica de fisioterapia
  • Curso de DLM – Módulo de Empreendedorismo.

    Inovação em cursos de capacitação para acadêmicos e fisioterapeutas. Módulo de empreendedorismo do curso de DLM(Dra.Lena Monteiro Cintra,Clínica Somma) ministrado por Luis Henrique Cintra - Barbara Magalhães, Mariza Marinho, Silvana Tavares, Elanne Lima, Érika Freitas e  Paulo Robson Cunha Filho
    Inovação em cursos de capacitação para acadêmicos e fisioterapeutas. Módulo de empreendedorismo do curso de DLM(Dra.Lena Monteiro Cintra,Clínica Somma) ministrado por Luis Henrique Cintra – Barbara Magalhães, Mariza Marinho, Silvana Tavares, Elanne Lima, Érika Freitas e Paulo Robson Cunha Filho

  • Série 16 Erros – Erro 03 – subestimar necessidades financeiras

    2015_05_06_erro_03
    O empresário terá custos fixos prestando o serviço ou não, e custos variáveis de acordo com os valores emitidos nas notas fiscais ou no pagamento de comissões.

    A Série 16 Erros é será publicada todas as quartas-feiras apontando os erros mais comuns para quem desejar abrir um negócio em saúde.

    Há 2 momentos bem distintos na prestação de serviços de saúde: o primeiro é quando trabalhamos recebendo salário, produtividades ou bônus. Esse, talvez, seja o mais comum, e,  na maioria das vezes, pensamos que é o único custo que o proprietário do serviço apresenta. O segundo momento é quando nós, proprietários, temos que pagar um “CUSTO FIXO”, ou seja, atendendo ou não, o empresário terá que arcar com custos mensais para manter o lugar funcionando. Além desses, haverá, ainda,  os “CUSTOS VARIÁVEIS”. Como o nome diz, que variam de acordo com o faturamento. Numa empresa de serviços de saúde, tais custos surgirão de acordo com as notas fiscais que serão emitidas ou com comissões aos funcionários. Negligenciar essas necessidades poderá ser fatal para qualquer negócio em saúde.

    Abraço a todos,

    Luis Henrique Cintra


  • Fisioterapeuta Empresário, eu?

    DSC09335Há 30 anos não havia Fisioterapeutas com 30 anos no mercado. Não é nenhuma novidade lembrar que recursos físicos são utilizados desde os primórdios da humanidade, mas mesmo depois regulamentação de nossa profissão ainda temos muito que aprender como empresários ou profissionais liberais.

    Trabalhamos inicialmente nos grandes centros de reabilitação, depois éramos funcionários de grandes clínicas onde médicos, normalmente, eram donos. Começamos atender em domicílio, era o começo de nossa autonomia, demos então um grande passo, criamos nossas clínicas. Hoje nos dividimos entre estúdios, academias, domicílio, faculdades, organização de cursos e franquias.

    Não há como negar a evolução técnico-científica da Fisioterapia. A paixão pelo que fazemos fez surgir inúmeros negócios em nossa área, mas, será que nos planejamos para isso?

    Diariamente vejo colegas entusiasmados na criação de seus espaços e ao mesmo tempo anúncios, nas redes sociais, de outros colegas vendendo seus equipamentos e tentando outra coisa na vida. Talvez, o brilho da paixão possa estar ofuscando àqueles que, no momento de falar de negócios, precisam olhar focados em seus objetivos.

    É preciso habituar-se a uma nova linguagem: planejamento, capital de giro, IRPJ, rentabilidade, marketing etc. Ousar sim, arriscar perder, nunca. Foram-se os tempos em que as coisas eram feitas “na marra”. Agir sempre estrategicamente, não preocupando-se somente em captar, mas em fidelizar clientes, pensar que o cliente deve ser cuidado 24 horas por dia, 365 dias por ano. Somente assim, podemos dizer que chegamos em nossa maturidade empresarial.

    Um abraço,