• Arquivo de marcações consultoria em fisioterapia
  • Série 16 Erros – Erro 06 – plano de contingência

    plano-bbSun Tzu o maior estrategista da história descreve que temos que transformar nossa desvantagem em maior vantagem. As vitórias ou derrotas na vida empresarial representam etapas no processo de aprendizagem. É sempre bom manter-se motivado, mas é péssimo criar expectativas  que podem nos cegar ou ensurdecer.

    Certa vez, um casal de fisioterapeutas que tinha uma pequena clínica resolveu contratar um consultor  com o objetivo de motivar a equipe de sua empresa através de um PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. O propósito seria conseguir tornar a equipe mais coesa, justamente, para melhorar as chances de sobrevivência no mercado. Ao longo do treinamento, esses profissionais “revelaram-se”, e,  acabaram saindo da empresa, iriam, tentar, desbravar o mercado sozinhos. Um dos sócios, então, perguntou:

    – E agora, ninguém vai ajudar a gente a pagar as contas da clínica, vamos ter que fechar?

    O outro na mesma hora respondeu:

    – Não, vamos ter a oportunidade de transformar a clínica em algo que sempre desejamos. Vamos informatizar, vamos criar campanhas de marketing, vamos melhorar as condições de trabalho para as pessoas do suporte e vamos morar na clínica, assim, teremos os funcionários, já pagos pela clínica nos ajudando com os afazeres domésticos e ainda não gastaremos com aluguel. Vamos, assim, fazer mais com menos, Será, agora, o momento da virada.

    Isso aconteceu há 14 anos, e, até hoje a Clínica Somma, ainda está de pé, e é nela que fundamentamos todas as nossas idéias de gestão e empreendedorismo em fisioterapia. Infelizmente o mesmo não aconteceu com aqueles que saíram. Alguns deixaram a profissão e outros apresentam grandes dificuldades de estabelecer-se num determinado ponto comercial devido ao custo de todo o processo.

    Abraço a todos

    Luis Henrique Cintra


  • Série 16 Erros – Erro 04 – projetar custos muitos baixos e formar preços de forma incorreta.

    O Profissional de Saúde, muitas vezes, pensa que  deve cobrar  somente pelo "trabalho dele", e isso é um erro básico, pois  a empresa terá um "custo" para que o serviço seja executado, isso é chamado custo fixo,
    O Profissional de Saúde, muitas vezes, pensa que deve cobrar somente pelo “trabalho dele”, e isso é um erro básico, pois a empresa terá um “custo” para que o serviço seja executado, isso é chamado custo fixo,

    A Série 16 Erros é será publicada todas as quartas-feiras apontando os erros mais comuns para quem desejar abrir um negócio em saúde.

    Numa loja de sapatos, quando alguns não são vendidos,  permanecem no estoque. No mês seguinte, através de uma promoção, ou empenho dos vendedores, essa venda poderá ser concluída. Já nos serviços de Saúde isso não acontece, pois o que é comercializado, além da remuneração do profissional especializado, é o tempo que a empresa disponibiliza para a prestação desses. O proprietário deve entender que, esse, depois de perdido, não volta. O Profissional de Saúde, muitas vezes, pensa que  deve cobrar  somente pelo “trabalho dele”, e isso é um erro básico, pois  a empresa terá um “custo” para que o serviço seja executado, isso é chamado custo fixo, além disso, terá um segundo custo na hora de receber os valores pagos, serão os impostos, chamamos isso de custo variável. A  negligência sobre esses aspectos gera um erro no calculo do preço a ser cobrado(precificação). Nunca esqueça:

    1) Cálculo dos custos fixos sobre a hora de funcionamento da empresa

    2) Estimativa de lucro desejada pela empresa

    3) Probabilidade de faltas aos atendimentos

    4) Cálculo dos custos variáveis sobre o valor a ser cobrado

     

    Abraço a todos

     

    Luis Henrique Cintra

     

     


  • Série 16 Erros – Erro 03 – subestimar necessidades financeiras

    2015_05_06_erro_03
    O empresário terá custos fixos prestando o serviço ou não, e custos variáveis de acordo com os valores emitidos nas notas fiscais ou no pagamento de comissões.

    A Série 16 Erros é será publicada todas as quartas-feiras apontando os erros mais comuns para quem desejar abrir um negócio em saúde.

    Há 2 momentos bem distintos na prestação de serviços de saúde: o primeiro é quando trabalhamos recebendo salário, produtividades ou bônus. Esse, talvez, seja o mais comum, e,  na maioria das vezes, pensamos que é o único custo que o proprietário do serviço apresenta. O segundo momento é quando nós, proprietários, temos que pagar um “CUSTO FIXO”, ou seja, atendendo ou não, o empresário terá que arcar com custos mensais para manter o lugar funcionando. Além desses, haverá, ainda,  os “CUSTOS VARIÁVEIS”. Como o nome diz, que variam de acordo com o faturamento. Numa empresa de serviços de saúde, tais custos surgirão de acordo com as notas fiscais que serão emitidas ou com comissões aos funcionários. Negligenciar essas necessidades poderá ser fatal para qualquer negócio em saúde.

    Abraço a todos,

    Luis Henrique Cintra


  • Fisioterapia domiciliar pode ser uma ótima oportunidade de negócio.

    Entenda a necessidade dos clientes, defina um público alvo, defina uma zona de atendimento, adquira equipamentos de fácil transporte, tenha sempre um contrato definindo o que será o serviço, faça parcerias, mantenha um prontuário atualizado e otimize seu tempo.
    Entenda a necessidade dos clientes, defina um público alvo, defina uma zona de atendimento, adquira equipamentos de fácil transporte, tenha sempre um contrato definindo o que será o serviço, faça parcerias, mantenha um prontuário atualizado e otimize seu tempo.

    O ATENDIMENTO DOMICILIAR pode ser uma excelente forma de se produzir dinheiro com um relativo baixo investimento e fácil fidelização de clientes. O atendimento de clientes que preferem pagar pelo conforto de suas casas, seja pela conveniência ou pela necessidade, surge como uma oportunidade de negócio para o Fisioterapeuta recém formado.

    Antes de tomar qualquer decisão procure responder as seguintes perguntas:

    – Qual a necessidade do mercado, por que as pessoas precisam de atendimento domiciliar?

    – Que tipo de público você pretende atender em domicílio?

    – Quais as disfunções que serão mais comuns?

    – Qual a região que você pretende atuar?

    – Quais recursos, equipamentos e treinamentos você precisará ter para efetuar seu trabalho?

    – Como você se deslocará?

    –   Quem serão os seus concorrentes?

    – Quem são seus parceiros(auxiliares de enfermagem, médicos, fisioterapeutas, enfermeiros), enfim pessoas que são potenciais indicadores ?

    – Como você está formando seu preço? No site do COFFITO temos o nosso Referencial Nacional de Procedimentos Fisioterapêuticos que pode servir como guia, para acessá-lo clique aqui.

    Enfim, você funcionará como uma “empresa ambulante”. Sugiro, também, que procure uma unidade do SEBRAE para adquirir melhores conhecimentos empresariais e entenda melhor como funcionará o seu negócio.

    Abraço a todos

    Luis Henrique Cintra