• Arquivo de marcações desempregado
  • O medo do desempregado

    2015_04_10_medo_desempregado
    Primeiro olhei para os céus, e vi de onde vim, depois olhei para baixo, e vi para aonde vou, em seguida olhei para trás e vi o imutável, mas quando olhei para frente… vi que ainda sou necessário.

    Era uma vez um rapaz desempregado, que não suportando mais a pressão do mercado estava, assim, à beira de uma crise depressiva.

    Um amigo empreendedor o convidou para uma cerveja, e, quem sabe, descontrair um pouco.

    – O que vou fazer de minha vida…estudei tanto, e não tenho dinheiro para pagar 2 cervejas.

    – kkkkkk, que é isso cara. Fica na paz, hoje é por minha conta.

    A inveja corria em seus ossos. Ele retrucou?

    – Você parece que nunca tem problemas…vive rindo de tudo, você não tem medo de perder seu negócio?

    – Claro que tenho, mas tento por o medo no lugar certo.

    – Como assim no lugar certo? Medo é medo.

    – Na essência sim, mas ele pode ficar à sua frente, e, daí, não o deixa seguir, ele pode ficar atrás de você, e, então, o estimula, o faz correr para que não o alcance.

    – Pois acho que o medo vive à minha frente.

    – Não, não é isso. Ele não está nem à sua frente nem atrás de você. Ele está dentro de você. Nessa posição, ele nunca o abandonará.

    – Tem razão. Você já sentiu isso?

    – Sim.

    – E como conseguiu tirar o medo de dentro de você?

    – Primeiro olhei para os céus, e vi de onde vim, depois olhei para baixo, e vi para aonde vou, em seguida olhei para trás e vi o imutável, mas quando olhei para frente… vi que ainda sou necessário. Se todos temos o mesmo destino, precisamos mudar o meio de chegar lá, assim encontremos a paz.

    Luis Henrique Cintra