• Arquivo de marcações fisioterapia
  • Apfisio – exemplo a ser seguido na Fisioterapia.

    Os resultados obtidos mostram, além da competência negocial de toda a equipe da APFISIO/SE, que o sonho de uma remuneração justa junto às OPS baseia-se em nosso processo organizacional e adesão dos prestadores frente a causas comuns a categoria.
    Os resultados obtidos mostram, além da competência negocial de toda a equipe da APFISIO/SE, que o sonho de uma remuneração justa junto às OPS baseia-se em nosso processo organizacional e adesão dos prestadores frente a causas comuns a categoria.

    Nos dias 28 e 29 de agosto/2015 tive o privilégio de ser convidado por meu amigo Lucas Moraes Rego para participar do I Encontro APFISIO-SE/FENAFISIO. O evento aconteceu no Del Canto Hotel – Aracaju/SE.

    Empresários, professores e acadêmicos estiveram presentes debatendo antigos impasses comuns entre as Operadoras de Planos de Saúde e os Prestadores de Serviços de Fisioterapia. Necessário mencionar que o evento teve o total apoio do CREFITO 7 representado por Dr. Cleber Sady e Dr.Mauricio Dourado Rocha.

    O principal patrocinador do evento foi a empresa Persyos Sistemas Customizados(Artini Lemos, Raphael Alencar, Silvio Diniz) desenvolvedora do PERFISIOS, software de gestão para Serviços de Fisioterapia. Faturamento eletrônico, acesso em dispositivos móveis e adaptabilidade às necessidades de cada empresa são algumas das características comuns ao produto, e que ajudarão os Fisioterapeutas Empresários a conhecerem mais o seu negócio  projetando-se, assim, para o futuro.

    O modelo estratégico praticado em  Aracaju de convidar o Ministério Público como mediador das negociações, paralisações temporárias, cobertura da imprensa e um alto índice de adesão fez a UNIDAS acatar parte de nosso referencial que será escalonado ao alongo dos próximos anos.

    Os resultados obtidos mostram, além da competência negocial de toda a equipe da  APFISIO/SE, que o sonho de uma remuneração justa junto às OPS baseia-se em nosso processo organizacional e adesão dos prestadores frente a causas comuns a categoria.

    Parabéns a todos os amigos Sergipanos pela coragem, iniciativa e ganhos. Que vossas ações ecoem por todo o Brasil.

    Abraço a todos

    Luis Henrique Cintra


  • Série 16 Erros – Erro 06 – plano de contingência

    plano-bbSun Tzu o maior estrategista da história descreve que temos que transformar nossa desvantagem em maior vantagem. As vitórias ou derrotas na vida empresarial representam etapas no processo de aprendizagem. É sempre bom manter-se motivado, mas é péssimo criar expectativas  que podem nos cegar ou ensurdecer.

    Certa vez, um casal de fisioterapeutas que tinha uma pequena clínica resolveu contratar um consultor  com o objetivo de motivar a equipe de sua empresa através de um PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. O propósito seria conseguir tornar a equipe mais coesa, justamente, para melhorar as chances de sobrevivência no mercado. Ao longo do treinamento, esses profissionais “revelaram-se”, e,  acabaram saindo da empresa, iriam, tentar, desbravar o mercado sozinhos. Um dos sócios, então, perguntou:

    – E agora, ninguém vai ajudar a gente a pagar as contas da clínica, vamos ter que fechar?

    O outro na mesma hora respondeu:

    – Não, vamos ter a oportunidade de transformar a clínica em algo que sempre desejamos. Vamos informatizar, vamos criar campanhas de marketing, vamos melhorar as condições de trabalho para as pessoas do suporte e vamos morar na clínica, assim, teremos os funcionários, já pagos pela clínica nos ajudando com os afazeres domésticos e ainda não gastaremos com aluguel. Vamos, assim, fazer mais com menos, Será, agora, o momento da virada.

    Isso aconteceu há 14 anos, e, até hoje a Clínica Somma, ainda está de pé, e é nela que fundamentamos todas as nossas idéias de gestão e empreendedorismo em fisioterapia. Infelizmente o mesmo não aconteceu com aqueles que saíram. Alguns deixaram a profissão e outros apresentam grandes dificuldades de estabelecer-se num determinado ponto comercial devido ao custo de todo o processo.

    Abraço a todos

    Luis Henrique Cintra


  • A folha de pagamento

    folhadepagamentoA folha de pagamento faz parte dos CUSTOS FIXOS de uma empresa de Fisioterapia como já discutido noutro post de nosso blog. Talvez, essa, seja um dos maiores custos de nossas empresas, pois,  nossa mão de obra é altamente especializada e  os valores pagos geram encargos que iremos discutir em detalhes.

    Imaginemos que empreguemos um Fisioterapeuta um salário de R$ 1800,00, vejamos os custos:

     

    SALÁRIO R$ 1.800,00
    GPS R$ 482,4
    FGTS R$ 144,00
    V.TRANS R$ 82,72
    13 SALÁRIO R$ 150,00
    GPS R$ 40,20
    FGTS R$ 12,00
    FÉRIAS R$ 200,00
    GPS R$ 53,60
    FGTS R$ 16,00
    TOTAL R$ 2.980,92

     

    Esse seria o custo mensal de 1 Fisioterapeuta com salário de R$ 1800,00. Não podemos esquecer, que para nosso colega exercer seu trabalho, esse precisará de pessoal de apoio. Ao somar o salário de todos teremos então um custo aproximado de nossa folha de pagamento. Seguem alguns tributos que hoje nos massacram:

    FGTS: 8% que incide sobre salário, férias e 13 salário.

    GPS:  25,8% que incide sobre salário, férias e 13 salário.

    A vinda do SIMPLES poderá desonerar nossa FOLHA DE PAGAMENTO facilitando, dentre outras coisas, uma maior contratação ou regularização de profissionais. Não esqueçamos que no ANEXO III, onde fomos enquadrados, a CPP(Contribuição Patronal Previdenciária) reduz de 25,8% para 4%, contudo, não há interferência no cálculo do FGTS ou do vale transporte.

     

    Abraço a todos,

     

    Luis Henrique Cintra

     

     

     

     


  • Série 16 Erros – Erro 05 – contratar muitas pessoas e gerar despesas administrativas elevadas.

    sem fazer nadaO ciclo anúncio->venda->prestação de serviço->pagamento de contas e fornecedores->anúncio será o mesmo,  seja numa pequena ou grande empresa. A grande diferença é que na de grande porte existem inúmeros setores para realizar as diferentes funções.  Já num pequeno negócio de fisioterapia isso precisa ser revisto. Não podemos nos dar ao luxo de contratarmos profissionais, muitas vezes, necessários, mas que devido às dificuldades de mercado tornam-se caros. Outra situação bem comum é disponibilizar inúmeros serviços na empresa e tentar cobrir o custo de um com o ganho do outro, parasitando, dessa forma, o que é lucrativo.  Numa empresa o pessoal de apoio deve estar o “mais preparado” possível para assumir algumas funções temporárias. A grande sabedoria será nunca fazer “economia de palito”,  mas somente gastar com recursos humanos ou equipamentos que realmente são imprescindíveis. Somente invista em informática se você for realmente utilizá-la profissionalmente, não compre equipamentos de eletroterapia que ficarão encostados, não fique com o ar condicionado ligado numa sala pequena por achar que o consumo será maior se você for ligá-lo novamente. Lembre-se que na faculdade você tinha que investir em conhecimentos técnicos, como empresário você precisará investir em conhecimentos gerenciais.

    Abraço a todos,

    Luis Henrique Cintra


  • O auditório vazio.

    Desde então, que não temo mais a ausência ou lotação em minhas conferências, pois mais importante que audiência é que o(s) espectador(es) saia(m) de lá com alguma mensagem útil para sua(s) vida(s).
    Desde então, que não temo mais a ausência ou lotação em minhas conferências, pois mais importante que audiência é que o(s) espectador(es) saia(m) de lá com alguma mensagem útil para sua(s) vida(s).

    Desde então, que não temo mais a ausência ou lotação em minhas conferências, pois mais importante que audiência é que o(s) espectador(es) saia(m) de lá com alguma mensagem útil para sua(s) vida(s).

    Desde então, que não temo mais a ausência ou lotação em minhas conferências, pois mais importante que audiência é que o(s) espectador(es) saia(m) de lá com alguma mensagem útil para sua(s) vida(s).

    Há alguns anos fui convidado para preferir uma palestra sobre resultados clínicos que tinha tido na aplicação de um certo método de tratamento postural. Após 5 anos de formado, seria a primeira vez que eu falaria para um grupo de pessoas que, até bem pouco tempo,  eu dividira espaço. Para mim, aquela seria a palestra que mudaria a minha vida na qualidade de Fisioterapeuta e orador.

    Não me lembro bem qual era o evento, mas não importava, me preparei, cheguei cedo e  me dirigi à sala. Veio, então, a primeira constatação: fui colocado numa sala a parte do evento, escondida e com uma certa dificuldade de acesso. Dirigi-me até lá e daí a segunda constatação: havia 13 pessoas para assistir a palestra que eu tinha levado alguns anos para preparar. Sim, porque o trabalho para coleta de dados levou anos para se estabelecer. Eu disse a mim mesmo “Eu vim preparado, e vou falar”. Comecei a preparar os slides e iniciei.

    Com dez minutos do primeiro slide o auditório foi começando a lotar, com 20 minutos foi necessário trazer mais cadeiras para os ouvintes, parei para acomodação, com 35 minutos havia pessoas sentadas no chão, e nos últimos 10 minutos de palestra, a porta de entrada foi fechada pois literalmente não cabia mais ninguém. Eu via pessoas do lado de fora que não podiam mais entrar. Onde, no início, menos de 15 pessoas se esparramavam pelo auditório, no final quase 400 se espremiam. Tal episódio se repetiu noutro evento, mas não dessa maneira.

    Como já disse no inicio desse texto, “essa seria a palestra que iria mudar minha vida” e mudou. Desde então, que não temo mais a ausência ou lotação em minhas conferências, pois mais importante que audiência é que o(s) espectador(es) saia(m) de lá com alguma mensagem útil para sua(s) vida(s).

    Luis  Henrique Cintra


  • Série 16 Erros – Erro 04 – projetar custos muitos baixos e formar preços de forma incorreta.

    O Profissional de Saúde, muitas vezes, pensa que  deve cobrar  somente pelo "trabalho dele", e isso é um erro básico, pois  a empresa terá um "custo" para que o serviço seja executado, isso é chamado custo fixo,
    O Profissional de Saúde, muitas vezes, pensa que deve cobrar somente pelo “trabalho dele”, e isso é um erro básico, pois a empresa terá um “custo” para que o serviço seja executado, isso é chamado custo fixo,

    A Série 16 Erros é será publicada todas as quartas-feiras apontando os erros mais comuns para quem desejar abrir um negócio em saúde.

    Numa loja de sapatos, quando alguns não são vendidos,  permanecem no estoque. No mês seguinte, através de uma promoção, ou empenho dos vendedores, essa venda poderá ser concluída. Já nos serviços de Saúde isso não acontece, pois o que é comercializado, além da remuneração do profissional especializado, é o tempo que a empresa disponibiliza para a prestação desses. O proprietário deve entender que, esse, depois de perdido, não volta. O Profissional de Saúde, muitas vezes, pensa que  deve cobrar  somente pelo “trabalho dele”, e isso é um erro básico, pois  a empresa terá um “custo” para que o serviço seja executado, isso é chamado custo fixo, além disso, terá um segundo custo na hora de receber os valores pagos, serão os impostos, chamamos isso de custo variável. A  negligência sobre esses aspectos gera um erro no calculo do preço a ser cobrado(precificação). Nunca esqueça:

    1) Cálculo dos custos fixos sobre a hora de funcionamento da empresa

    2) Estimativa de lucro desejada pela empresa

    3) Probabilidade de faltas aos atendimentos

    4) Cálculo dos custos variáveis sobre o valor a ser cobrado

     

    Abraço a todos

     

    Luis Henrique Cintra

     

     


  • Você sabe o que é lucro presumido?

    O Governo Federal presume que algumas empresas prestadoras de serviços de saúde, quando enquadradas como lucro presumido, tem 32% de lucro líquido.
    O Governo Federal presume que algumas empresas prestadoras de serviços de saúde, quando enquadradas como lucro presumido, tem 32% de lucro líquido.

    O Governo Federal presume que algumas empresas prestadoras de serviços de saúde, quando enquadradas como lucro presumido, tem 32% de lucro líquido. Isso significa que por cada procedimento recebido no valor de R$ 100,00, por exemplo, após pagarmos tudo(custos fixos e alguns variáveis) teríamos ainda um lucro de R$32,oo. Sobre esse valor gera-se uma alíquota de 15% para o calculo do IRPJ(Imposto de Renda da Pessoa Jurídica) e 9% para cálculo da CSLL(Contribuição Social sobre o Lucro Líquido). Existem ainda mais 2 impostos que incidem sobre o faturamento bruto, são eles a COFINS(Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social)  e o PIS (Programa de Integração Social). Veja as alíquotas:

    Sobre essa alíquota o governo tributará empresa da seguinte forma:

    • IRPJ – 15% dos 32% = 4,8% do faturamento bruto
    • CSLL – 9% dos 32% = 2,88% do faturamento
    • COFINS – 3% do faturamento bruto
    • PIS – 0,65% do faturamento bruto

    Uma grande vitória foi alcançada me 2014 quando a Fisioterapia conseguiu se inserir no anexo IV do SIMPLES. Nesse regime tributário as alíquotas podem ficar em 6%, mas isso vai depender do faturamento anual.

    Abraço a todos,

    Luis Henrique Cintra


  • Série 16 Erros – Erro 03 – subestimar necessidades financeiras

    2015_05_06_erro_03
    O empresário terá custos fixos prestando o serviço ou não, e custos variáveis de acordo com os valores emitidos nas notas fiscais ou no pagamento de comissões.

    A Série 16 Erros é será publicada todas as quartas-feiras apontando os erros mais comuns para quem desejar abrir um negócio em saúde.

    Há 2 momentos bem distintos na prestação de serviços de saúde: o primeiro é quando trabalhamos recebendo salário, produtividades ou bônus. Esse, talvez, seja o mais comum, e,  na maioria das vezes, pensamos que é o único custo que o proprietário do serviço apresenta. O segundo momento é quando nós, proprietários, temos que pagar um “CUSTO FIXO”, ou seja, atendendo ou não, o empresário terá que arcar com custos mensais para manter o lugar funcionando. Além desses, haverá, ainda,  os “CUSTOS VARIÁVEIS”. Como o nome diz, que variam de acordo com o faturamento. Numa empresa de serviços de saúde, tais custos surgirão de acordo com as notas fiscais que serão emitidas ou com comissões aos funcionários. Negligenciar essas necessidades poderá ser fatal para qualquer negócio em saúde.

    Abraço a todos,

    Luis Henrique Cintra